PSICÓLOGO RENOMADO.

Mais de 20 anos de experiência. Profissional com formação internacional. A primeira consulta sem custo. Você merece a melhor ajuda. Comece a resolver agora!

 

Se quiser saúde, evite o chocolate

Para você que é fã dos chocolates brancos, vai o aviso: este é o tipo de chocolate menos recomendado para consumo. Rico em leite, açúcar e manteiga de cacau, o chocolate branco tem percentuais baixíssimos de massa de cacau em sua composição. Com seu abundante teor de gordura, este chocolate anula todos os benefícios oriundos do cacau, e ainda acarreta alguns malefícios relacionados ao ganho de peso, diabetes e hipertensão.

Em geral, os chocolates são 8% compostos de proteínas, 60% de carboidratos e 30% de gorduras. Este teor de gordura é altíssimo, muito maior que o da grande maioria dos alimentos. Por ser tão gorduroso, torna-se um perigo para aqueles propensos à acne: o chocolate propicia inflamações na pele, que originam as espinhas.

Passar da conta ao comer chocolate traz complicações a curto e a longo prazo. Dos problemas imediatos, podemos citar agitação, insônia, azia e diarreia. Já os efeitos colaterais tardios são um pouco mais severos: acelerado ganho de peso (basta ter em mente que uma barra de 150g possui 800 calorias) e favorecimento da formação de cálculos renais.

A ingestão de chocolate aumenta a liberação de dopamina no cérebro. Este é o hormônio da felicidade, que traz a sensação de relaxamento e bem-estar. Sentir-se relaxado e tranquilo não é algo ruim; o problema consiste na confiança de que o chocolate trará esta sensação. Muitas pessoas fazem do chocolate um escape para desviar a atenção dos seus problemas, o que não é nada positivo: além de negligenciar situações pendentes, este tipo de relação com o doce rapidamente leva ao consumo em excesso.

A nutricionista Karin Caliani, de São José do Rio Preto (SP), explica que o consumo excessivo de chocolate pode trazer sérios problemas de saúde, inclusive o agravamento de alguns tipos de câncer.

Mas vamos estudar algumas evidências sobre o cacau, em uma das principais sites de referência médica.

Cacau contém cafeína e produtos químicos relacionados. Comer grandes quantidades pode causar efeitos colaterais relacionados à cafeína, como nervosismo, aumento da micção, insônia e batimentos cardíacos acelerados.

O cacau pode causar reações alérgicas na pele, constipação e pode desencadear dores de cabeça da enxaqueca. Também pode causar queixas digestivas, incluindo náuseas, desconforto intestinal, roncos no estômago e gases.
Cacau em quantidades maiores é POSSIVELMENTE INSEGURO por causa da cafeína que contém. A cafeína encontrada no cacau atravessa a placenta produzindo concentrações sanguíneas fetais semelhantes aos níveis da mãe. Embora controversa, algumas evidências sugerem que altas doses de cafeína durante a gravidez podem estar associadas a parto prematuro, baixo peso ao nascer e aborto espontâneo.

A cafeína é também uma preocupação durante a amamentação. Acredita-se que as concentrações de cafeína no leite materno sejam aproximadamente metade do nível de cafeína no sangue da mãe. Se a mãe come muito chocolate (16 oz por dia), o lactente pode tornar-se irritado e ter movimentos intestinais muito freqüentes por causa da cafeína.

Ansiedade: Existe uma preocupação de que a cafeína em grandes quantidades de cacau possa piorar os transtornos de ansiedade.

Distúrbios hemorrágicos: O cacau pode retardar a coagulação do sangue. Consumir muito cacau pode aumentar o risco de sangramento e hematomas em pessoas com distúrbios hemorrágicos.

Condições cardíacas: Cacau contém cafeína. A cafeína do cacau pode causar batimentos cardíacos irregulares em algumas pessoas e deve ser usada com cautela em pessoas com problemas cardíacos.

Diabetes: O cacau parece ser capaz de aumentar os níveis de açúcar no sangue e pode interferir no controle do açúcar no sangue em pessoas com diabetes.

Diarréia. Cacau contém cafeína. A cafeína do cacau, especialmente quando ingerida em grandes quantidades, pode piorar a diarréia.

Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE): O cacau parece impedir a eficácia da válvula no tubo de alimentação (esôfago), que impede que o conteúdo do estômago retorne ao tubo alimentar ou às vias aéreas. Isso poderia piorar os sintomas da DRGE.

Glaucoma: O cacau contém cafeína. A cafeína do cacau aumenta a pressão no olho e deve ser usada com cautela em pessoas com glaucoma.

Pressão alta: O cacau contém cafeína. A cafeína do cacau pode aumentar a pressão sanguínea em pessoas com pressão alta. No entanto, para pessoas que já consomem muita cafeína, pode não causar um grande aumento.

Síndrome do Intestino Irritável (SII): O cacau contém cafeína. A cafeína do cacau, especialmente quando ingerida em grandes quantidades, pode piorar a diarréia e piorar os sintomas da SII.

Dores de cabeça da enxaqueca: O cacau pode provocar enxaquecas em pessoas sensíveis.

Osteoporose: Cacau contém cafeína. A cafeína do cacau pode aumentar a quantidade de cálcio liberada na urina. O cacau deve ser usado com cautela em pessoas com osteoporose.

Cirurgia: O cacau pode interferir no controle do açúcar no sangue durante e após os procedimentos cirúrgicos. Pare de comer cacau pelo menos 2 semanas antes de uma cirurgia programada.

Batimento cardíaco rápido e irregular (taquiarritmia): O cacau do chocolate preto pode aumentar a frequência cardíaca. Produtos de cacau também podem piorar a pulsação irregular.

MEDIANTE TANTAS EVIDÊNCIAS, PEÇO QUE REFLITAM SOBRE OS SUBSTITUTOS DO CHOCOLATE, COMO ALFARROBA, OU OUTRAS POSSIBILIDADES.

Referência bibliográfica:

https://www.webmd.com/vitamins-supplements/ingredientmono-812-cocoa.aspx?activeingredientid=812&activeingredientname=cocoa

https://www.agemed.com.br/agenews/beneficios-e-maleficios-chocolate/

http://g1.globo.com/sao-paulo/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/noticia/2012/04/conheca-os-maleficios-do-consumo-excessivo-de-chocolate.html

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.