Manual para um bom aluno de Yoga foi escrito com uma intençao precisa.
Era a forma de se ajudar um específico grupo de alunos.
Muitas vezes os hábitos podem arraigados podem coletivamente dificultar o progresso do grupo.
Trazer a energia e a ação para a modificação pode fazer a diferença.
Neste intuito, escrevi esta carta para o grupo.

bom aluno de yoga

Manual para um bom aluno de Yoga
O Yoga é conhecido por ser uma tradição milenar.
Sua variedade de expressão é diversa.
Mas a sua sustentação e continuidade não é tão diversa quanto sua expressão.
A sua continuidade e existência nos dias de hoje deve-se à sua transmissão.
A impressão de livros só se deu devido à contribuição da imprensa por Gutenberg.
Vale lembar que o primeiro livro era obra sagrada, A Bíblia.
A produção de Gutenberg se deu em 1450, mas o Yoga se propagava muito antes disto.
A sobrevivência do Yoga até nós só se fez possível pela relação professor – aluno.
Mais especificamente, pelo respeito do aluno ao professor.
Perdoe se for repetitivo, mas seria importante deixar isto mais claro.
O Yoga só existe nos dias de hoje, porque o aluno respeita seu professor.
Respeitar o professor de Yoga significa ser claro com o professor no entendimento e aplicação do ensinamento de Yoga.

Exemplos:

Yamas – Onde na minha vida tenho dificuldades de manter bons e claros relacionamentos?
Nyamas – Onde mantenho hábitos de alimentação e rotina de acordo com os ensinamentos?
Asanas – Qual obstáculos continuam presentes em minhas couraças emocionais?
Pranayama – Onde tenho ansiedade na minha vida hoje?
Pratyahara – Qual hora do dia tenho me interiorizado?
Dharana – Quais são meus objetivos e focos?
Dhyana – Estou agindo de acordo com o planejado?
Samadhi – Que resultados estou obtendo?

Outro dia chamei a atença de famoso professor nas redes sociais.
Este afirmava que a pandemia, o afastamento social e as aulas online haviam mudado a tradição.
Esta afirmação só pode partir de quem não reconhece a transmissão do Yoga.
A necessidade de contato online não isenta ninguém de respeitar o ensinamento e o professor.
Não exime o professor de olhar e se preocupar com seu aluno.
Não absolve o aluno de dar satisfação e se responsabilizar por colocar em prática o ensino.
Não diminui a importância do diálogo e encontro com o professor nos momentos marcados.
Não impede o aluno de estar em postura atenta no momento da fala do professor.
Não aceita ninguém que não cumpre com os compromissos acertados de contato e ensino.

O Yoga não é ferido pela Pandemia, ou pelas aulas online.
O Yoga é descontinuado pela postura do aluno que não valoriza o ensinamento.
O Yoga é desperdiçado pela preguiça, falta de consideração e satisfação em relação ao seu método.
O Yoga escorre em um vaso rachado pelo descuido.

 

Sabia mais sobre Vitor Caruso
Aprenda mais sobre o Ashtanga Yoga Research Institute.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *