A fraude da carne não é um grande problema!
Não mesmo, uma das principais acusações é o uso de ácido ascórbico.
Ácido ascórbico é vitamina C, e seu excesso está sendo apresentado como cancerígeno, ponto de discordância entre médicos. Quem tiver paciência de pesquisar, leia as teses do prêmio Nobel, Linus Pauling, sobre as altas dosagens de vitamina C.

Mas segunda os jornais, por exemplo A Folha, “O delegado da Polícia Federal Maurício Moscardi Grillo disse que algumas das empresas investigadas usavam ácido e outros elementos químicos muito acima do permitido por lei para maquiar o aspecto físico de alimento vencidos”, ou seja, ao que parece, o problema reside na quantidade dos elementos tóxicos, mas que seu uso já era aceito. É claro que permitir o consumo com contaminação de salmonela é bastante grave, mas vamos olhar de forma mais profunda.

Sou um sobrevivente de câncer, e a mais de 15 anos estudo a relação entre esta doença, e o consumo de alimentos, especialmente o de origem animal.

Lilian Cheung, diretora de nutrição da Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard, prova em sua obra que o consumo de carne é responsável pelas principais causas de morte da humanidade
Lilian Cheung, diretora de nutrição da Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard, prova em sua obra que o consumo de carne é responsável pelas principais causas de morte da humanidade

Se fizermos uma análise inteligente, facilmente se percebe que a carne é tóxica, e cancerígena por si. A mensagem que quero destacar neste texto de alerta para que se veja que o grande problema para a saúde não é a fraude, mas o consumo de carne em si.

Vamos a alguns fatos importantes:
Um adulto em média precisa de 50g de proteína por dia, uma xícara de feijão já o nutre com 15g desta necessidade.
Até frutas têm proteína, por exemplo, uma manga tem 5% de calorias em forma de proteína.
Cálcio e Ferro são encontrados em ótima quantidade na couve e derivados de soja.
O nível médio de colesterol de um carnista é 210, de um vegano é 133
É comprovada a relação do consumo de proteína animal com câncer de próstata, mama e cólon.
Em média um vegano vive 8 anos a mais que um carnista.
Um carnista tem três vezes mais chances de Alzheimer.
50% do gases poluentes do efeito estufa estão ligados ao rebanho de animais e seus derivados.
Câncer é reversível por meios nutricionais

Portanto, peço atenção às manchetes de jornais e sobre a forma como os subornos, vantagens e falcatruas em relação ao processo de produção e venda de carne está sendo feito. Mas não deixe ser mal informado: Carne faz muito mal, produtos oriundos de animal fazem muito mal, são cancerígenos por si.

Desperdício de água, desperdício de grãos, desperdício de dinheiro e saúde.
Evite o desperdício de água, desperdício de grãos, desperdício de dinheiro e saúde.
Mais razões para evitar a proteína animal, desde problemas com acne, osteoporoses, e doenças cardiovasculares
Mais razões para evitar a proteína animal, desde problemas com acne, osteoporoses, e doenças cardiovasculares
Carl Lewis é um dos atletas que descreve melhora de performance depois de ter adotado o veganismo
Carl Lewis é um dos atletas que descreve melhora de performance depois de ter adotado o veganismo
Países com baixo consumo de proteínas animais têm menor incidência de câncer e problemas cardíacos.
Países com baixo consumo de proteínas animais têm menor incidência de câncer e problemas cardíacos.

 

Fontes: Revista Vegan  Magazine, Universidade de Cornell, PETA

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *