Zilda ainda viva!

Uma viúva, mãe de cinco filhos, que aceita a missão de auxiliar no elevado número de mortes de crianças com diarreia. Essa talvez seja a forma mais simples, e menos correta, para falar da Dra. Zilda Arns.

Criadora da maior ONG do Brasil, nunca na história de nosso país, tantas famílias e crianças foram ajudadas e salvas, nenhum político, jogador de futebol, ou padre, fez pelas famílias carentes deste país, o que esta médica catarinense, que residia em Curitiba fez.

Penso que o terremoto no Haiti não levou a vida da Dra. Zilda Arns, pois onde houver uma criança sendo ajudada, onde houver o cuidado com a mãe para que a próxima geração conheça carinho e amor, haverá o espírito, a vontade e a presença da Dra. Zilda.

vitorzildamestres Auxílio ao Livro “Mestres da Cultura da Paz”

Estive com ela por diversas vezes, e sempre me emocionou profundamente a forma como gentil e carinhosa que trocávamos ideias, convites e opiniões. Confesso que sua admiração por São Francisco de Assis foi algo que me contagiou desde o nosso primeiro encontro. Às vezes penso que Francisco teria a mesma admiração por Zilda, que tinha por Santa Clara.

Quando ela decidiu apoiar o projeto de meu livro “Mestres da Cultura da Paz”, tivemos uma longa conversa, inesquecível para mim, sobre o que é Paz, e me lembro, conforme registrei no livro, de suas palavras: “Devemos ser humildes, este é o caminho para desenvolver uma liderança de paz. É preciso ir ao encontro dos pobres, é preciso pôr a mão na massa, agir como fazemos na Pastoral da Criança, ajudando as pessoas a melhorarem.”

Imagem043 Apresentada ao Prof. Hermógenes em evento com o Dalai Lama.

Certa vez ela organizou um encontro inter-religioso, e pediu para que eu participasse como representante do Budismo, fiquei encantando como haviam representantes de outras religiões, que a respeitavam, admiravam e eram líderes no trabalho da Pastoral da Criança, ao final das atividades, ela pediu que eu trouxesse um grupo de crianças carentes para uma demonstração de yoga, e canto. Grupo este que desenvolvi um trabalho por quatro anos.

comprovanteentrega Entrega dos convites para ver o Dalai Lama.

Em uma outra oportunidade, fui entregar os convites para que ela fosse estar comigo na palestra de Sua Santidade, o Dalai Lama, em 2006. Combinamos o dia e o horário, sentamos lado a lado, na apresentação no Palácio das Convenções do Anhembi. Ela realmente ficou fascinada com a abordagem lúcida sobre saúde, que o Dalai Lama apresentava aos cientistas. Aos sair, me pediu uma cópia da palestra em DVD. (Lamento com tristeza que o DVD tenha ficado pronto apenas agora, em Dezembro, e que eu o tinha em minha casa, para cumprir o prometido). Neste dia, tive a felicidade de apresentá-la ao Prof. Hermógenes, ambos figuras espirituais famosas, mas que não se conheciam pessoalmente.

Em outro momento, ela me auxiliou na fundação do Conselho Municipal de Cultura de Paz de Curitiba, dizendo que daria qualquer tipo de apoio, inclusive o de telefonar pessoalmente para o vereador que por acaso não votasse a favor da criação do Conselho para a cidade.

Certa vez, me pediu para que estivesse com ela em um pré-lançamento de um filme sobre a exploração da prostituição infantil, para que desse minha opinião sobre esta séria questão nacional.

image010 Trocando flores com Monja Coen

Em nosso último encontro, apresentei a Monja Coen à Dra. Zilda, para uma gravação de poemas nas vozes das duas. Um projeto cultural que iria ajudar algumas crianças. Que momento especial, aquelas duas vozes femininas, fortes, recitando palavras que se transformariam em ajuda concreta.

Escrevo estas palavras, sinceramente emocionado.
Dra. Zilda obrigado! A Senhora continua viva! Onde houver compaixão, onde houver ajuda aos necessitados, sempre estará ali sua vida, sua presença!

Quer receber novos textos?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *