Certa vez, o Prof. Hermógenes disse em encontro no espaço da Profa. Monserrat: “Devemos ser amorosos, mas não abraçar porco-espinho”.
O que isto quer dizer? Devemos nos unir a açougueiros, pecuaristas, políticos corruptos, gangues de rua, grupos neo-nazistas, seitas ou falsos líderes espirituais?
A tradução da palavra “yoga”, apenas como “união”, leva algumas pessoas à errônea interpretação que temos que abraçar a todos.
Mostro como este conceito se baseia em premissas errôneas.
Se traduzirmos “mouse” como “rato”, e não explicarmos mais detalhadamente sobre o equipamento ligado ao computador e sua utilização, assimilamos o conceito de forma errada. O mesmo vale se traduzirmos “beatles” como “besouros”, e não explicarmos o contexto de uma banda de rock, que fez muito sucesso na década de 1960.
Em conversa recente que tive com o famoso professor Dharma Mittra, que reside em Nova Yorque, conhecido como o professor dos professores, perguntei o que ele achava destes diferentes tipos de yoga, ainda mais nos Estados Unidos, onde existe uma enorme proliferação de “trademarks” yogas.
Ele me respondeu que isto está relacionado com pessoas interessadas em ganhar dinheiro, em vender bem-estar ou fazer fama. E que sempre haverá público para isto. Ele se preocupa apenas ensinar um caminho de elevação e liberação, se preocupa em promover compaixão, por isto, ensina apenas “yoga”.
Esta maravilhosa resposta, me coloca diretamente em conexão com o Yoga Sutra, principal texto de referência no assunto.
E aqui uso a tradução/comentário do Prof. Desikachar, autêntico representante de uma das tradições de praticantes mais importante da Índia.

1.2 yogasgcittavrittinirodah
Yoga é a habilidade de voltar a mente exclusivamente em direção a um objeto e sustentar essa direção sem quaisquer distrações.
1.39 yathabhimatadhyanadva
Toda a reflexão digna de interesse pode acalmar a mente.
3.50 tadvairagyadapi dosabijaksaye kaivalyam
A liberdade, o fim último do yoga, só é alcançada quando se rejeita o desejo de adquirir conhecimento extraordinário e se controla completamente a fonte de obstáculos.
3.51 sthanyupanimantrane sangasmayakaranam punaranistaprasangat
A tentação de aceitar um status respeitoso, consequência do conhecimento adquirido por samyama, deve ser contida. De outra maneira, a pessoa enfrenta as mesmas consequências desagradáveis que surgem de todos os obstáculos ao yoga.

Portanto vemos que em nenhuma das explicações acima, foi usada a palavra “união”, ou “unir-se a alguém, ou algo”. Porém encontramos muito relacionado a “acalmar a mente”, “refletir”, “rejeitar o que parece extraordinário”, e “conter tentações”.

Mas ao tentar entender a mensagem do Prof. Hermógenes, novamente reconheço sua sabedoria, e entendimento. Ampla concordância com o texto de Patanjali.

1.33 maitrikarunamuditopeksanam suckhaduhkhapunyavisayanam bhavanatascittaprasadanm
…Qualquer que seja a nossa atitude mental em relação a essas pessoas e suas ações, se pudermos sentir satisfação pelos que são mais felizes que nós, compaixão pelos que estão infelizes, alegria pelos que fazem coisas louváveis e, se os erros dos demais não nos afligem, nossa mente será muito tranquila.

Portanto, manter uma distância compassiva de pessoas infelizes que tomam ações errôneas é praticar yoga. Coincidentemente, este tamém é um dos principais ensinamentos do Buda, como ensinado por Thich Nhat Hanh, como a expressão do Verdeiro Amor, ou Quatro Qualidades Incomensurárveis, ou Bhrama Vihara: Bondade Amorosa, Compaixão, Alegria e Equanimidade (Inexpectabilidade).

Quer receber novos textos?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *